Muitos adultos sofrem de problemas na vesícula biliar durante a idade adulta, principalmente mulheres, que desenvolvem cálculos biliares muito mais do que os homens.  E a colecistectomia, cirurgia para remover a vesícula biliar, é uma das operações mais comuns realizadas em adultos todos os anos.

A vesícula biliar é uma pequena bolsa em forma de pêra, escondida atrás dos lóbulos do fígado. Seu principal trabalho é armazenar a bile rica em colesterol que é secretada pelo fígado, que ajuda o corpo a digerir gorduras e lipídios na dieta e ajuda também na detoxificação do organismo.  De todas as pessoas que experimentam algum tipo de problema na vesícula biliar durante a vida, aproximadamente 70% do tempo ocorre na forma de cálculos biliares, que se formam quando a bile contém quantidades excessivas de colesterol.

Uma variedade de problemas pode ocorrer na vesícula biliar, além da formação de cálculos na vesícula biliar, como o desenvolvimento de inflamação da vesícula biliar (chamada colecistite).

Que tipos de fatores contribuem para doenças ou emergências da vesícula biliar?

Isso pode incluir obesidade, ter uma dieta pobre que contribui para deficiências nutricionais, tomar contraceptivos orais (pílulas anticoncepcionais), alergias alimentares e certos fatores genéticos.

Alguns dos sinais de alerta de que você pode ter um problema na vesícula biliar podem incluir dor e sinais de inchaço ao redor da vesícula ou ter problemas digestivos com frequência devido à fraca absorção de gorduras. Os tratamentos que podem ajudar a prevenir ou resolver naturalmente os problemas da vesícula biliar e, o que é mais importante, não requerem cirurgia, incluem ter uma alimentação anti-inflamatória, evitar gorduras refinadas e alimentos alérgenos.

Prevenção de cálculos biliares, dieta da vesícula biliar e outros tratamentos naturais.

  1. Siga uma dieta da vesícula biliar

Os alimentos abaixo podem ajudar a reduzir o desconforto da vesícula biliar porque, em geral, são mais fáceis de digerir, contêm apenas gorduras naturais e fornecem nutrientes importantes, como antioxidantes e fibras:

Alimentos ricos em fibras – 30 a 40 gramas de fibra por dia, pode ajudar a reduzir o risco de cálculos biliares. Boas fontes de fibra que suportam a digestão são feijão e legumes, nozes, sementes, juntamente com frutas e vegetais frescos.

Beterraba, alcachofra e verduras de dente de leão – Esses vegetais ajudam especialmente a apoiar a saúde do fígado, têm efeitos desintoxicantes e podem melhorar o fluxo biliar, que decompõe a gordura. Você também pode consumir mais produtos frescos ao fazer seus próprios sucos ou smoothies de vegetais. Tente adicionar alimentos ricos em potássio, como abacate, verduras, tomate, batata doce e banana.

Gorduras saudáveis ​​não refinadas (incluindo azeite ou óleo de coco) – O óleo de coco contém uma das formas mais fáceis de gordura para o corpo digerir, chamados ácidos graxos de cadeia média. Eu recomendo consumir gorduras saudáveis ​​em pequenas quantidades ao longo do dia, apenas cerca de uma colher de sopa de óleo por vez ou cerca de duas colheres de sopa de nozes e sementes germinadas. Isso ocorre porque você não deseja consumir em excesso gorduras, o que coloca mais estresse no fígado e na vesícula biliar. Azeite virgem extra é outra gordura anti-inflamatória com muitos benefícios.

Nozes e sementes germinadas – As sementes germinadas de chia, cânhamo e abóbora são mais fáceis de digerir e podem reduzir a inflamação. Mas consuma apenas uma a duas colheres de sopa de nozes e sementes germinadas por vez.

Uma alimentação rica em plantas, incluindo alimentos crus – As pessoas que tem uma alimentação rica em plantas cruas, como frutas, legumes, nozes e sementes, tendem a ter menor ocorrência de cálculos biliares. Esses alimentos são naturalmente ricos em água, eletrólitos, antioxidantes e fibras, mas baixos em sal e gorduras. Ter uma alimentação vegetariana também está associado à diminuição do risco de cálculos biliares, assim como evitar carnes processadas ou laticínios alergênicos.

Alimentos com proteínas magras – Incluir fontes magras de proteínas orgânicas na dieta da vesícula biliar pode aliviar o estresse. Considere frango, carne alimentada com capim, peixe selvagem e proteína orgânica em pó, incluindo proteínas do caldo de osso em pó.

Por outro lado, os alimentos problemáticos da vesícula biliar a serem evitados incluem:

Alimentos fritos e óleos hidrogenados – Fast foods, óleos processados ​​e carnes ou queijos embalados com gordura podem ser alguns dos alimentos mais difíceis de digerir adequadamente. Para reduzir a quantidade de gorduras não saudáveis ​​em sua dieta, reduza a ingestão de alimentos como batatas fritas ou biscoitos, salame, produtos suínos, laticínios processados ​​e carne animal convencional, alimentada com grãos.

Açúcar e carboidratos simples – O açúcar pode aumentar a probabilidade de cálculos biliares devido ao ganho de peso e inflamação.

Alimentos aos quais você pode ser alérgico – Os problemas da vesícula biliar estão potencialmente relacionados a alergias alimentares. Alérgenos em potencial incluem produtos lácteos e glúten.

Produtos lácteos convencionais – Esses alimentos são pró-inflamatórios e podem fazer com que seu corpo produza mais cálculos biliares. Isso inclui queijo, sorvete, pizza, etc.

Refeições com alto teor de gordura – Constatou-se que os ataques da vesícula biliar geralmente seguem refeições pesadas e geralmente ocorrem à noite ou durante a noite. Qualquer alimento rico em gordura pode piorar os problemas da vesícula biliar. Isso se aplica mais a óleos vegetais refinados (como girassol, açafrão, canola, milho etc.), mas também pode incluir óleos vegetais saudáveis, como o azeite em alguns casos – ou até coisas como manteiga de amêndoa. Embora seja importante ter algumas gorduras saudáveis, o controle das porções é fundamental. Se os sintomas piorarem ao comer gorduras saudáveis, reduza ainda mais o que você tem ao mesmo tempo ou tente outro tipo de gordura.

  1. Use suplementos naturais

Além de mudar sua dieta, aqui estão outros suplementos naturais que ajudam a reduzir a dor e a inflamação.

Cúrcuma – A cúrcuma e seu composto mais ativo, a curcumina, têm propriedades anti-inflamatórias que podem ajudar a reduzir o inchaço da vesícula biliar e melhorar o fluxo biliar.

Raiz-leão – O dente-de-leão é usado há séculos para melhorar vários processos digestivos, apoiar a saúde do fígado e regular o uso da bile.

Bérberis – Este extrato vegetal pode ajudar a tratar problemas gastrointestinais, combater infecções e limpar o fígado e a vesícula biliar.

Óleo de alecrim – Misture três gotas de óleo de alecrim com 1/4 de colher de chá de óleo de coco e esfregue a área da vesícula biliar duas vezes ao dia para ajudar na limpeza e reduzir a inflamação.

  1. Mantenha um peso saudável

Estar acima do peso pode aumentar suas chances de ter problemas na vesícula biliar, como cálculos biliares. Isso parece ser especialmente verdadeiro em mulheres com excesso de peso e meia-idade, devido aos efeitos que as alterações hormonais (especialmente o estrogênio) parecem ter no fígado. Foi demonstrado que a obesidade contribui para níveis mais altos de colesterol no fígado e pode contribuir para muitas disfunções digestivas diferentes.

  1. Exercite-se regularmente

Mantenha-se ativo durante toda a idade adulta e até na velhice para se proteger dos cálculos biliares.  Isso é benéfico para o equilíbrio hormonal, reduzindo a inflamação, a saúde digestiva geral e mantendo um peso saudável sem a necessidade de cortar drasticamente as calorias.

Se você retirou a visícula

Recomendo que faça um protocolo de desintoxicação de 3 a 4 vezes por ano para ajudar o organismo a eliminar as toxinas, como falei no início do post, a vesícula A vesícula ajuda a armazenar a bile e otimiza o processo de detox.

Como?

O fígado metaboliza tudo que precisa ser eliminado do organismo. E essas toxinas que o fígado conseguir “retirar” do corpo, são enviadas para a Bile para que sejam eliminadas pelas fezes, urina e suor. E quem não tem vesícula, não tem armazenamento e otimização do processo de detox pela bile. Portanto, é importante fazer um detox de tempos em tempos, para estimular a detoxificação natural do organismo.

Escrito por Dra. Daniela Cyrulin

VEJA TAMBÉM:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.