Quando você pensa em uma alergia alimentar, você pensa automaticamente em uma criança que entra em choque anafilático depois de comer amendoim. Essas alergias são assustadoras e também muito mais raras do que as sensibilidades alimentares.

Sensibilidades a alimentos como o glúten aparecem no meu consultório sempre.

Os sintomas de sensibilidades alimentares podem incluir inchaço, constipação, enxaquecas, ganho de peso, erupções cutâneas, “brain fog” e muito mais. Ao longo dos anos, reações ocultas à comida podem prejudicar o sistema imunológico e levar ao ganho de peso, à síndrome do intestino irritável ou à doenças autoimunes como artrite, doença celíaca ou tireoidite de Hashimoto, entre outras.

Essas sensibilidades podem levar à inflamação, que é a causa da maioria das doenças crônicas hoje, incluindo alguns tipos de câncer.

Quando o revestimento do intestino está inflamado, pequenas fissuras se abrem entre as células que formam as paredes do intestino. Conhecido como síndrome do intestino permeável, essas fendas no intestino permitem que bactérias e moléculas de alimentos parcialmente digeridas escorreguem para a corrente sanguínea, onde são considerados invasores.

E então, o sistema imunológico ataca a todo vapor. Os glóbulos brancos correm para cercar a partícula ofensiva e a inflamação sistêmica segue. Não estou falando de dor de garganta ou dedo infectado. Estou falando de um incêndio oculto e fumegante criado pelo sistema imunológico, que tenta afastar um ataque diário de reações negativas à comida.

Por que tantas pessoas hoje em dia lidam com problemas intestinais crônicos? Como essas questões estão relacionadas às sensibilidades alimentares? E o que podemos fazer sobre isso?

VEJA TAMBÉM:

Escrito por Dra Daniela Cyrulin

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.