A esta altura, você está bem familiarizado com a lista de verificação diária de prevenção COVID: Lave as mãos, não toque seu rosto, use sua máscara em público e distancie-se socialmente dos outros. Cada uma dessas precauções está alinhada com as diretrizes dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) lançadas no início da pandemia de COVID-19, para ajudar a diminuir a transmissão viral. O que o CDC (ou qualquer um dos poderes constituídos, por falar nisso) não aborda com tanta clareza – para grande consternação de muitos especialistas – é o fato de que a nutrição também é inegociável na luta contra o COVID-19.

Quanto às diretrizes do CDC, há uma menção inserida em suas diretrizes de “Alimentos e Coronavírus”, onde aconselham: Reduzir o estresse relacionado à pandemia por meio de uma boa nutrição; incorporar vitaminas C e D, além de zinco, em sua dieta para possível suporte do sistema imunológico; ler os rótulos de todos os alimentos enlatados que comprar e procurar as opções mais saudáveis; e priorizar frutas, vegetais, proteína magra e grãos inteiros.

É claro que todas essas informações são importantes e úteis – assim como as outras diretrizes do COVID-19 que o CDC estabeleceu. Mas, infelizmente, não há uma única menção à nutrição como medida preventiva – ela é totalmente deixada de fora da conversa na seção “Evite ficar doente”.

Por que a nutrição precisa ser uma prioridade, não uma reflexão tardia.

A maior influência individual de desenvolver uma doença crônica grave é a qualidade da dieta. A dieta é constante e universalmente importante.  Então, por que exatamente não ouvimos mais sobre dieta em relação à prevenção de doenças? Para começar, outros fatores que afetam a saúde e a mortalidade costumam ser muito mais diretos. Por exemplo: você é fumante ou não fumante; ou você faz atividade física ou não; sua pressão arterial está alta ou normal. Mas a dieta é um conjunto infinito de variáveis ​​misturadas. Existem muitas maneiras de fazer certo. Existem muitas outras maneiras de fazer isso errado.

Existem também muitos outros fatores em jogo que podem interferir no seu acesso e compreensão da nutrição ideal. Sem mencionar que, como humanos voltados para a sobrevivência, nossos instintos são programados para estar mais sintonizados com ameaças imediatas do que com ameaças de longo prazo. Se eu comer uma rosquinha hoje, não me afetará amanhã. A causa e o efeito são separados por tempo, então é difícil de ver. Estamos muito indiferentes sobre a associação maciça entre dieta e resultados adversos à saúde em geral. Isto é, até enfrentarmos uma ameaça como o COVID-19.

Por que focar na dieta em meio ao COVID-19 é uma necessidade e uma oportunidade?

Não é segredo que indivíduos com problemas de saúde subjacentes, como doenças cardíacas, asma, diabetes e doenças pulmonares crônicas, correm um risco maior de resultados adversos de COVID. Ignorar isso é absurdo e ignorar que a dieta é o maior motivador de tudo isso também é absurdo. Por esse motivo, o clima atual da COVID-19 não apenas como um motivo para priorizar a dieta mais do que nunca, mas também como um momento ideal para as pessoas fazerem mudanças duradouras. Então, o que você pode fazer … hoje? Nunca houve um momento melhor para ter a conversa “vamos ficar saudáveis”. Isso porque, mesmo pequenas mudanças conscientes podem afetar sua saúde e imunidade.

Para ajudá-lo a começar seu próprio caminho, confira algumas dicas:

1.Comece com uma refeição saudável … mas saiba que os benefícios melhoram com o tempo. Você pode alterar sua resposta imunológica com uma única refeição e a magnitude do benefício aumentará com o tempo. Há evidências em estudos que observam como as células de colheita no sistema imunológico reagem a diferentes estímulos. Eles reagem de uma forma que tem mais probabilidade de protegê-lo após uma refeição de alta qualidade, ao invés de uma refeição de baixa qualidade.

2. Opte por alimentos saudáveis ​​e naturais. Essencialmente, quanto mais perto você chegar dos alimentos que vêm diretamente da natureza, melhor. Então evite alimentos ultraprocessados e coma o máximo possível de alimentos reais. Passos simples na direção certa podem significar beber água em vez de refrigerante ou escolher grãos inteiros em vez de refinados. E se a lista de ingredientes for extensa, provavelmente é uma má ideia. E quando se trata de escolher esses alimentos … em meio a uma pandemia, os alimentos ricos em vitamina C, vitamina D e zinco podem ser particularmente benéficos. Não há discordância entre cientistas e médicos de que a vitamina D é importante para o sistema imunológico, a vitamina C é um nutriente importante para o suporte imunológico. Suplementos também são uma opção, mas devem ser usados ​​como suplementos e não como substitutos de uma dieta de alta qualidade.

3. Opte pelos vegetais quando puder. Quanto mais você puder optar por alimentos vegetais, melhor. Isso inclui uma variedade de frutas, vegetais, grãos inteiros, feijões, lentilhas, nozes e sementes. Basicamente, a qualquer hora que você puder comer uma planta em vez de um animal, coma.

Fiz um e-book de receitas saudáveis e práticas para você incluir no seu dia a dia.

Para baixar gratuitamente clique aqui 

VEJA TAMBÉM:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.