QUAL A MELHOR DIETA PARA EMAGRECER?

Você sabia que a disbiose (ou desequilíbrios intestinais) pode sabotar a perda de gordura? Se você quer perder peso, comece cuidando do seu intestino. Seu microbioma intestinal dita como você absorve e processa calorias, afetando até mesmo o armazenamento de gordura e a taxa metabólica basal.

Nenhuma dieta é de tamanho único. Algumas pessoas prosperam comendo uma dieta baseada em cetogênicos, enquanto que para outros, alguns dias nesse plano os deixarão desesperados por carboidrato refinado.

Bom, vamos aos protocolos:

LOW CARB:

Carboidratos se tornaram injustamente sinônimo de ganho de peso. Afinal, sorvetes e couve-flor são ambos carboidratos. Um é saudável; o outro, não.

Uma dieta baixa em carboidratos é geralmente moderada a alta em gordura e / ou proteína. Quão baixo você precisa ir com carboidratos para obter resultados de perda de peso depende… Como está seu intestino e qual sua genética em relação à metabolização de carboidratos?

A low carb não é zero carbo, ela permite um bom número de alimentos vegetais que são ótimos para o intestino, incluindo vegetais, frutas com baixo teor de açúcar, nozes e castanhas e sementes.

Prós: A ingestão baixa de açúcar significa que mantém os níveis de açúcar no sangue e insulina estáveis, mantendo a perda de peso e a energia constantes. Embora um pouco restritivo, os pacientes em geral se sentem satisfeitos comendo alimentos saudáveis ​​com baixo teor de carboidratos.

Contras: o consumo excessivo de carne e outros alimentos de origem animal negligencia os alimentos vegetais que ajudam o intestino. Você tem que usar e abusar de carboidratos de qualidade. Sensibilidades alimentares, como o glúten, também podem entrar em planos com pouco carbo. Mas cuidados com industrializados low carb que  contêm adoçantes artificiais e outros ingredientes problemáticos.

PALEO:

Essa dieta popular imita o que nossos ancestrais caçadores-coletores comiam, enfatizando alimentos integrais e não processados. Estes são os alimentos que seus bisavós comeram e reconheceram, não os onipresentes alimentos ultraprocessados que muitas vezes passam como “comida dietética” hoje. Não há uma definição de dietas paleo, embora para perda de peso você queira minimizar frutas com maior teor de açúcar, como bananas (que tecnicamente seriam paleo).

Prós: Muitos destes alimentos são ricos em nutrientes e pobres em açúcar, contribuindo para uma perda de peso saudável. Nossos ancestrais paleo comiam muito mais fibras do que hoje, sustentando a saciedade e um microbioma intestinal diverso, que é sinônimo de saúde.

Contras: Tal como acontece com baixo teor de carboidratos, enfatizar demais a carne pode significar que você não está recebendo alimentos vegetais suficientes. Nossos ancestrais caçadores-coletores comiam muitas verduras folhosas, frutas e outros alimentos ricos em fibras e nutrientes!

VEGANOS E VEGETARIANOS:

Uma dieta vegana evita todos os alimentos de origem animal. Para algumas pessoas, isso inclui qualquer coisa que um animal tenha criado (como o mel). As dietas vegetarianas, por outro lado, permitem alguns alimentos de origem animal, incluindo ovos e laticínios. Com o plano certo, as dietas veganas e vegetarianas podem ajudar a perder peso. A dieta Ornish, que é baseada em vegetais, gera em média uma perda de peso média de aproximadamente 2,9% após seis meses e 2,6% após 12 meses.

Prós: Concentrando-se em alimentos vegetais orgânicos fornece uma rica variedade de nutrientes que também são melhores para o planeta. Os nutrientes e fibras em alimentos como legumes, frutas com baixo teor de açúcar, nuts e sementes são um combustível fabuloso para o seu intestino, mantendo-o cheio com menos calorias.

A situação nas indústrias é desagradável: carnes e outros produtos animais são muitas vezes bombeados com hormônios, antibióticos e outros lixos.

Contras: Para pessoas com resistência à insulina ou que são sensíveis aos carboidratos, muitos alimentos vegetais podem prejudicar a perda de gordura. Uma dieta vegana também pode ser incrivelmente restritiva, especialmente se você viaja muito ou não consegue preparar sua própria comida.

DIETA MEDITERRÂNEA:

Embora não exista uma verdadeira definição, a dieta mediterrânea é tipicamente baixa em gordura saturada e rica em óleos vegetais. Ela obtém resultados impressionantes. Após 12 meses, as pessoas perderam uma média de 8,7%. (Quando eles passaram para o Mediterrâneo com pouco carboidrato, a perda de peso média aumentou para 10,3%).

Prós: Embora não seja especialmente concebido para perda de peso, muitos alimentos básicos na dieta mediterrânica podem certamente ajudá-lo a perder peso. Uma dieta rica em azeite extra-virgem, legumes, incluindo verduras, nozes e peixes selvagens podem ajudar a perda de gordura e um intestino saudável.

Contras: Para algumas pessoas (incluindo aquelas que são resistentes à insulina), a dieta mediterrânea – que também incorpora alimentos integrais como frutas e legumes – pode ser muito rica em carboidratos. Da mesma forma, se você precisar de instruções específicas sobre o que comer e quanto comer, esse plano pode parecer vago. A dieta mediterrânea também demoniza injustamente a gordura saturada, que estudos mais recentes mostram que podem realmente ser saudáveis ​​a partir de alimentos como o óleo de coco extra-virgem e carne bovina alimentada com capim.

CETOGÊNICA:

Embora as contagens individuais variem, muitos planos cetogênicos incluem pelo menos 55 a 60% de gordura na dieta. A maioria das outras calorias provém da ingestão moderada de proteínas, juntamente com quantidades muito baixas de carboidratos. Você literalmente recicla seu corpo para utilizar gordura em vez de açúcar como combustível.

Um problema que tenho visto entre as dietas cetogênicas é a incapacidade de manter o plano a longo prazo, mas isso depende. Uma revisão de ensaios controlados randomizados descobriu que, em um ano ou mais, dietas pobres em carboidratos (como dietas cetogênicas) “levaram a uma perda de peso significativamente maior em comparação com intervenções com pouca gordura. A TMB diminuiu em mais de 400 kcal / dia em uma dieta de baixo teor de gordura, quando comparado a uma dieta muito baixa em carboidratos “.

Prós: Notícias recentes mostram que as dietas keto podem ajudar a perder peso rapidamente. Você pode comer alimentos satisfatórios fazendo keto sem nunca sentir fome.

Contras: Você pode facilmente acumular 4.000 ou mais calorias diárias comendo esses alimentos ricos em gordura. Claro, você vai queimar gordura, mas será a gordura da dieta, em vez de gordura corporal. Muitas dietas cetogênicas negligenciam os alimentos vegetais ricos em fibras que sustentam sua flora intestinal. E se o seu corpo não pode tolerar grandes quantidades de gordura na dieta (ou o pensamento de comer muita gordura faz você estremecer), uma dieta cetogênica não é para você.

JEJUM INTERMITENTE:

Essencialmente, você alterna períodos de comer com não comer (ou jejuar). Quanto tempo você se abstém de comer depende do seu plano, mas geralmente envolve de 16 a 24 horas ou mais.

Prós: O jejum pode complementar muitos planos aqui e aumentar sua perda de peso. O jejum consistente também dá uma pausa no intestino e permite que seu corpo acesse gordura como combustível. O jejum é gratuito, não requer produtos especiais e permite flexibilidade, já que você pode fazê-lo praticamente em qualquer lugar.

Contras: A fome se torna o maior obstáculo para muitas pessoas. Comer demais ou compulsão alimentar pode se tornar um problema para algumas pessoas. Determinados casos (incluindo pessoas com problemas adrenais ou tireoidianos) devem consultar um médico funcional antes de se submeterem ao jejum.

AGORA O RANKING DA MELHOR PARA A PIOR!

1 – Jejum intermitente (o jejum pode complementar qualquer plano de dieta)

2 – Dieta cetogênica (empatada com jejum intermitente)

3 – Dieta low carb (bônus se você fizer uma dieta mediterrânea com poucos carboidratos)

4 – Dieta Paleo

5 – Dieta mediterrânea

6 – Dietas veganas / vegetarianas

Lembrando que estamos falando de protocolos para perda de peso e não manutenção e que nenhuma dieta será 100% eficaz se você estiver com o organismo intoxicado e inflamado, por isso sempre faça um protocolo detox antes de começar um dieta a longo prazo.

Em última análise, o que importa é o que funciona para você, que ajuda a perder peso, a criar equilíbrio no intestino e a manter esse sucesso por longo prazo.

Você pode ajustar praticamente qualquer plano aqui para acomodar todos os três objetivos. No entanto, o mais importante é que um plano pareça factível – se algum desses planos parecer tortura e você estiver contando os dias até que possa terminar, provavelmente não é a melhor escolha para você!

Escrito por Dra. Daniela Cyrulin

VEJA TAMBÉM:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.