Ter gases é normal, mas o excesso de gases pode ser um sinal de problemas intestinais.

Quando você começa a sentir desconforto no abdômen. Quando você se sente muito inchado. Isso não é normal. É normal ter flatulência ocasional, mas se você sentir desconforto em sua barriga ou tiver muitos gases, isso mostra que há algo acontecendo com sua digestão. Se você está constipado ou com fezes moles freqüentes ou muitos gases após as refeições, isso também é uma boa indicação de que algo está errado com sua digestão.

O que são os gases e de onde vem?

Simplificando, é o ar preso no trato digestivo. Parte disso vem do ar que você engole; o restante é produzido quando as bactérias do intestino grosso decompõem os alimentos não digeridos. Quimicamente, é composto principalmente de hidrogênio, dióxido de carbono e metano. Às vezes, outros gases, como o sulfeto de hidrogênio, podem ser adicionados à mistura, dependendo de quais alimentos você come. São esses gases que podem causar um odor desagradável.

Existe uma lista longa de coisas que causam gases. Todas as fases da digestão precisam estar em equilíbrio para não desenvolver excesso de gases.  O primeiro passo é fácil: mastigue bem os alimentos. Isso é tão básico, mas importante. Essa é a primeira fase da digestão. Depois de mastigar e engolir a comida, o ácido estomacal e as enzimas digestivas produzidas no estômago, intestino delgado, vesícula biliar e pâncreas precisam fazer o trabalho de quebrar ainda mais a comida. Isso é importante porque, se os alimentos não forem bem digeridos no intestino delgado, as bactérias no intestino fermentam esses alimentos e produzem gases.

Causas comuns de excesso de gases:

Disbiose

A disbiose é um desequilíbrio persistente dos micróbios que vivem no intestino. Um desequilíbrio entre “bons micróbios” em comparação com os “micróbios menos saudáveis” que atingem o equilíbrio adequado em uma situação saudável. Coisas como medicamentos, antibióticos, álcool e mudanças em sua dieta podem alterar o equilíbrio da microbiota intestinal.

SIBO 

SIBO significa supercrescimento bacteriano do intestino delgado. Quando há excesso de bactérias no intestino delgado, ele fica ocupado fermentando os alimentos que ingerimos e produz quantidades maiores desses gases.

Crescimento de levedura

O crescimento excessivo de leveduras também pode causar gases e inchaço. O fermento é uma parte importante da mistura de micróbios em um intestino saudável, mas quando as bactérias do intestino estão desequilibradas, ele pode permitir que o fermento cresça sem controle. Uma dieta rica em carboidratos e açúcar, consumo excessivo de álcool e antibióticos pode aumentar o risco de crescimento excessivo de leveduras.

Infecções 

Certas infecções também podem causar gases extras. Parasitas podem ser detectados em alimentos e água contaminada.

Sensibilidades alimentares 

A sensibilidade a certos alimentos – mais comumente glúten e laticínios – pode resultar em má digestão e levar a excesso de gases.

Intolerância a lactose

A intolerância à lactose é diferente da sensibilidade aos laticínios. Pessoas com intolerância à lactose são deficientes em uma enzima digestiva chamada lactase. Essa enzima é responsável por quebrar a lactose para que possamos processá-la adequadamente. Se seu corpo não produz o suficiente dessa enzima, a lactose não pode ser decomposta e as bactérias a fermentam no intestino, produzindo uma quantidade significativa de gases.

Excesso de fibra 

A fibra é uma parte importante de uma dieta saudável, mas para algumas pessoas, o aumento da ingestão de fibras pode se traduzir em mais gases. Isso pode acontecer ao comer coisas como legumes e certos vegetais, especialmente vegetais crucíferos. Embora esse certamente não seja o caso de todos, existe algo que você pode fazer para descobrir o que te faz mal.

O que fazer com o excesso de gases?

Primeiro volte para a primeira fase da digestão. Certifique-se de mastigar bem a comida. Se você aumentou recentemente sua ingestão de fibras, tente reduzi-la e veja se isso ajuda.

Gerenciar o estresse e se exercitar regularmente também pode ser útil. O estresse é um grande inibidor da digestão adequada. Quando estamos em um estado de estresse, não é uma prioridade para o nosso corpo gastar energia digerindo, de modo que isso pode levar a sintomas digestivos como gases e inchaço e alterações nos movimentos intestinais. O exercício é um ótimo antídoto para o estresse, e também ajuda a promover a digestão regular. E certifique-se de ficar hidratado. Beber bastante água é importante para a digestão.

Uma dieta de eliminação pode ajudar a descartar sensibilidades alimentares e intolerância à lactose. Você pode fazer isso removendo muitos alimentos diferentes e depois os reintroduzindo um de cada vez. Ao eliminar laticínios, o efeito pode ser bastante imediato. Dentro de alguns dias, do corte dos laticínios, você notará uma diminuição nos gases se tiver intolerância à lactose.

Inclua os pré e probióticos na sua vida, coma uma grande variedade de vegetais, especialmente folhas cruas e também os vegetais fermentados (naturalmente em conserva), como chucrute e kimchii. Também podemos utilizar iogurte, kefir e o kombuchá. Outra alternativa é usar os suplementos de probióticos de boa qualidade que contenha uma variedade dessas bactérias (Lactobacillus, Bifidobacterium e Saccharomyces).

Escrito por Dra. Daniela Cyrulin

VEJA TAMBÉM:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.