Chama-se sistema nervoso parassimpático a parte do sistema nervoso autônomo cujos neurônios se localizam no tronco cerebral ou na medula sacral, segmentos S2, S3 e S4. É o responsável por estimular ações que permitem ao organismo responder a situações de calma.

O que é o sistema nervoso parassimpático?

Na contramão do sistema nervoso simpático, o parassimpático é responsável por fazer o organismo se acalmar após uma situação de estresse ou de emergência. Assim, irá diminuir os batimentos cardíacos, a pressão arterial, a adrenalina e o açúcar presente no sangue.

Por essa razão, a otimização da função do nervo vago pode melhorar a nossa saúde, fortalecendo nossas defesas diante do estresse. O aumento do tom vagal ativa o sistema nervoso parassimpático. Ter um tom vagal superior significa que seu corpo pode relaxar mais rápido depois do estresse. Ele conecta o cérebro a muitos órgãos importantes em todo o organismo, incluindo o intestino, o estômago, o coração e os pulmões.

O nervo vago também é uma parte fundamental do sistema nervoso parassimpático e influencia a respiração, a função digestiva e a frequência cardíaca, além de ter influência sobre a saúde mental. Por essa razão, a otimização da função do nervo vago pode melhorar a nossa saúde, fortalecendo nossas defesas diante do estresse.

O aumento do tom vagal ativa o sistema nervoso parassimpático. Ter um tom vagal superior significa que seu corpo pode relaxar mais rápido depois do estresse.

Por isso, alguns sintomas e transtornos relacionados com o baixo tom vagal são os seguintes:

  • Constipação;
  • Depressão;
  • Diabetes;
  • Transtornos de ansiedade;
  • Transtornos autoimunes;
  • Transtorno bipolar;
  • Dificuldade em engolir;
  • Tendência de engasgar ao comer;
  • Transtornos digestivos, incluindo gastroparesia;
  • Ronco;
  • Enxaqueca;
  • Obesidade;
  • Artrite reumatóide;
  • Quedas repentinas na pressão arterial;
  • Doença cardíaca, incluindo a frequência cardíaca lenta;
  • Vícios;
  • Doença de Alzheimer;
  • Síndrome de fadiga crônica;
  • Epilepsia.

Estimule o nervo vago usando a conexão mente-corpo. Confira exercícios e terapias corpo-mente que ajudam a melhorar o tom do nervo vago:

  • Cantar. Cantar sozinho ou com outras pessoas estimula o nervo vago, de acordo com pesquisas. Ao cantar com outras pessoas, a frequência cardíaca fica sincronizada. Acredita-se que o nervo vago seja o responsável por isso.
  • Meditar. Um estudo descobriu que meditar ajudava automaticamente a tonificar o nervo vago. Além disso, descobriu-se que o canto OM aumenta o tom vagal ao mesmo tempo em que reduz a amígdala, o centro de medo do cérebro.
  • Yoga. O exercício moderado de qualquer tipo pode estimular o nervo vago, mas a ioga se destaca sobre eles. Inúmeros estudos dizem que a ioga aumenta a atividade parassimpática do sistema nervoso que, por sua vez, melhora o tom vagal. Por exemplo, um estudo descobriu que a ioga não só melhora o tom vagal, como aumenta a liberação de GABA, o neurotransmissor do relaxamento.
  • Acupuntura. Fortalece o tom vagal. Os pontos de acupuntura tradicionais, particularmente a acupuntura auricular, estimulam o nervo vago, assim como foi demonstrada por pesquisas.
  • Reflexologia. Descobriu-se que a reflexologia podal aumenta o tom vagal.

Outra forma de estimular o nervo vago é se reunir com amigos e rir. O riso fortalece as relações ao mesmo tempo em que aumenta a variabilidade da frequência cardíaca, um indicador confiável da função saudável do nervo vago.

Por último, cabe destacar outra forma de estimular o nervo vago: através de suplementos. Alguns suplementos podem melhorar a saúde e a função do nervo vago, como a raiz de gengibre, os probióticos (especialmente o Lactobacillus rhamnosus), os ácidos graxos essenciais ômega-3 (especialmente DHA) e o zinco.

Escrito por Dra. Daniela Cyrulin

VEJA TAMBÉM:

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.